quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Engraçado

Andando de casaco preto pelos corredores azuis. Seus olhos. Olhando para o chão. Tentava passar despercebido, eu até entendi, entretanto, não. Seus olhos semicerrados diziam um pouco do teu grito. Quem és tu? Me tornei de repente, o lagarto questionador, além de fumante, de Alice. Eu tragava do teu cigarro metafórico, teu prazer pela vida e pelo mistério do mundo me fizeram os olhos brilharem. Serás mais uma lembrança do meu estranho futuro? Queria que ela não fosse apenas uma foto em memória, queria que não fosses apenas uma cena embaçada da minha mente, do meu passado. Não quero ter a incerteza do que poderia ter sido e não foi. Eu nem tentei nada, querido. Ainda. És engraçado, o destino, o acaso, Deus, planos, tudo isso é muito engraçado. Talvez eu não queira me deixar ser levada pelo acaso. Talvez, dessa vez, os meus 20 segundos de coragem insana tornem-se infinitos. Talvez eu queira ser a vela, a bússola da minha própria vida. De repente, me vejo numa caravela gigante, no alto mar, estou sozinha, o vento abraça meus cabelos, minha pele beija a brisa, me sinto viva, respiro e sinto cheiro de plantas verdinhas, árvores antigas, uma mistura de cheiro de nostalgia, do sítio da minha avó e das brisas de veraneios em Pontas de Pedra. Todos os melhores odores do mundo em uma viagem no meio do mar. Sonho. Toda caravela precisa de um abrigo para descansar, de uma ilha para ancorar e aprender a contemplar o mar e o resto do mundo, cada detalhe da cena. Na correria das ondas, no vaivém alheio da vida, esquecemos de contemplar o incrível azul do mar e o brilho que se forma quando o Sol se mostra. Ou o brilho em forma de triângulo dançante desenhado no mar, quando a Lua nasce. Azul, teus olhos e contemplo. Sabe que não notei teus olhos tão de perto? Tão...confusos mas com ares de encontrado. Que tolice a minha! É claro que não sabes do improvável que seria eu me apaixonar por você. Tudo é tão rápido, e nem começou dezembro. Queria poder parar o tempo. Quero te ler, Bon Jovi, queria saber das tuas canções preferidas, queria ser letra batida na tua boca. Queria poder te conhecer, mas sinto que já te vi em outra vida. Não vou me precipitar usando palavras no passado, eu ainda quero. Não morri, estou viva, os ventos continuam me abraçando, será que me empurrarão ao teu lado? Sei que eu já disse que quero ser a protagonista da minha vida, mas quem disse que o acaso não pode dar uma ajudinha? Enfim... finalmente encontrei a descrição da música Afterlife.Você é uma pessoa engraçada, mistura de Pink Floyd com Led Zeppelin e os Beatles. Incrível. Não vejo a hora de te encontrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário